ÁREAS DE PESQUISA >

Robótica e Sensores

ÁREAS DE PESQUISA >

Robótica e Sensores

Projeto BJT Sergio Mendonça

Pesquisa e otimização teórica e experimental das interações mutuas de uma nova Tecnologia de para-raios inteligente com a tecnologia de fibra ótica: PROTEC

news7

Com as tecnologias emergentes como a Smart Grids, as necessidades cada vez maiores em garantir confiabilidade e de baixar custos, a coordenação dos isolamentos e sobre tensões nas redes de transporte de energia é o meio mais adequado para assegurar-se de que a probabilidade da avaria do isolamento esteja limitada a um valor aceitável e que qualquer ruptura dielétrica fique restrita. O monitoramento de equipamentos é um método provado para gravação dos estados de operação e vida útil restante, fornecendo para o operador dados importantes para o gerenciamento ativo. Monitorar informações é também valioso para acessar o estado geral da rede. O crescimento na demanda energética mundial está colocando uma carga maior nas redes existentes – as vezes no limite de suas capacidades – fazendo a operação de rede confiável e responsável um desafio cada vez maior. Como resultado, muitos operadores de rede estão procurando soluções de monitorização para aumentar a confiabilidade de suas redes.

projeto2A monitorização dos para-raios prevalece sobre qualquer um dos testes de rotina de inspeção que implicam custos humanos ao nível das frequências de inspeção (no 1º ano para equipamento recente depois ciclos de 5 anos com métodos visuais ou visão térmica infravermelha), acessos, ambientes e condições de segurança especificas para limitar os perigos (sistema de produção ou rede de alimentação desligados ou que implica custos relativamente altos durante esses cortes para permitir a inspeção).

Diversas soluções de monitoração por fibra óptica (fibra/optoeletrônica) dos paramentos elétricos transitórios e permanentes vistos pelos para-raios são desenvolvidos a partir da sua rede de Pesquisadores em colaboração com o Doutor Sergio Luís Gonçalves de Mendonça, Pesquisador Sênior no LAT-EFEI da Universidade Federal de Itajubá. Este sistema deve ser embebido dentro do polímero/resina que constitui o invólucro do para-raios, sem projeto3interferir na sua geometria, no seu funcionamento de proteção, nas suas propriedades dielétricas, no modo de instalação e nas suas propriedades eletro – mecânicas. A aplicação destes conceitos, em particular, considera a última possibilidade tecnológica para os para-raios, ou seja, invólucros poliméricos. O conceito prevê a integração de funções de medidas elétricas antes e durante as sobre tensões atmosféricas ou da própria rede, inclusive a possibilidade de incorporação de sensores de temperatura, tornando o sensor – para-raios um sistema capaz se autodiagnosticar, definindo uma nova geração de unidades inteligentes, com amplas aplicações em qualquer rede de média, alta e ultra alta tensão. A investigação apoia-se sobre as últimas ferramentas de modelização por elementos finitos multidisciplinares para as diversas optimizações dos parâmetros e diversas ensaios experimentais em condições reais.